Atlético-MG vence o Cruzeiro e espanta a crise no Brasileirão

image_pdfimage_print

Fonte: Gazeta Esportiva-  A semana seria decisiva para o Atlético-MG: a sequência de Copa do Brasil, Campeonato Brasileiro e Copa Libertadores, com Botafogo, Cruzeiro e Jorge Wilstermann, nesta ordem. As suas primeiras batalhas foram vencidas, com a vitória sobre o Glorioso, no meio de semana, e o triunfo sobre o Cruzeiro na tarde deste domingo, no Independência, por 3 a 1, pelo Campeonato Brasileiro.

O resultado coloca o Atlético-MG no G-6, rodadas após estar na zona de rebaixamento, com 16 pontos conquistados. O Cruzeiro, por sua vez, foi ultrapassado pelo Atlético, ficou na 13ª posição, com 14 tentos.

O Cruzeiro foi muito superior nos 30 primeiros minutos do jogo, sendo mais intenso, mas forte, indo pra cima do Galo e espremendo o clube preto e branco no seu campo defensivo. O Atlético passou a ser superior nos 30 minutos do primeiro tempo e seguiu até o fim. E detalhe: foi mais eficiente, pois conseguiu a virada ainda na etapa inicial e complementou na etapa final.

O Galo volta a campo na próxima quarta-feira, pela Copa Libertadores, contra o Jorge Wilstermann. Pelo Campeonato Brasileiro o time alvinegro enfrenta o Botafogo, no domingo, às 16h (de Brasília), no Engenhão. Já os celestes esperam o Palmeiras, no Mineirão, no mesmo dia e horário.

O jogo – O desenho do jogo era o seguinte: mesmo jogando em casa, com o apoio do seu torcedor, o técnico Roger Machado optou por ter seu time mais fechado. Ele utilizou o esquema com três volantes – formação que deu mais tranquilidade para a equipe até agora. O Galo entrou fechado.

O Cruzeiro conseguiu repetir o esquema e formação que vem atuando, inclusive, com a sequência do zagueiro Caicedo, que vive um drama familiar com a mãe doente. O Galo teve seu primeiro problema logo aos quatro minutos de jogo. O zagueiro Leonardo Silva deixou o gramado logo no começo do jogo reclamando de dores na coxa direita. No minuto seguinte o Cruzeiro abriu o placar. Em jogada em velocidade, no contra-ataque pela esquerda da Raposa, Thiago Neves recebeu na área e empurrou para o fundo das redes.

Mesmo após o gol, o Cruzeiro seguia com ampla superioridade. O time azul chegava por todos os lados, de todas as maneiras e pressionava bastante o Galo. O esquema com três volantes, neste momento, se mostrava frágil, sem capacidade para ser colocado em prática, com o Atlético sem conseguir fazer a transição e sofrendo na defesa.

Fred, Robinho e Cazares, os homens da frente, estava completamente isolados, a bola chegava para os três e não tinha como segurar a redonda no campo de ataque, pois a recomposição celeste era muito bem feita, na mesma facilidade que voltava para a ofensiva. Alguns minutos após fazer o gol, o Cruzeiro chegou com bastante perigo e Caicedo, por pouco, não ampliou o placar.

Aos 30 minutos o Galo passou a entrar no jogo. A transição passou a funcionar, os atletas passaram a conseguir avançar nas linhas e os três da frente não ficaram tão sozinhos. Isso fez com que o Atlético conseguisse criar, pelo menos, três chances reais de gol. Apesar disso, o risco era controlado. O Galo chegava, poderia ter feito o gol, entretanto, o Cruzeiro atuava bem ainda.

O Galo se mandou para o ataque. O Cruzeiro diminuiu o ritmo e isso deu a possibilidade da equipe alvinegra conseguir criar mais. Em uma jogada na área celeste, Elias chutou e a bola pegou na mão de Diogo Barbosa. O pênalti não marcado pelo árbitro irritou os atleticanos. O jogo passou a ficar mais pegado. Primeiro Robinho e Rafael Sóbis se desentenderam e o árbitro precisou entrar na situação para evitar maiores transtornos. Pouco adiantou.

No momento seguinte, Thiago Neves, sem a bola, deu um cabeçada no volante Roger Bernardo. O jogo seguiu, e o meia Robinho do Cruzeiro também levou uma entrada dura. A briga teve inicio. Daronco chamou os jogadores para uma conversa rápida.

Com a melhora do Galo, o Cruzeiro ficou mais recuado. E o Atlético foi com tudo. Aos 47, Cazares bateu falta com perfeição e colocou no ângulo do goleiro Fábio, arqueiro que ficou imóvel na jogada. A equipe preto e branca seguiu querendo mais. Dois minutos depois, Alex Silva recebeu na linha de fundo, cruzou e Fred só teve o trabalho de empurrar para o fundo das redes.

O início do segundo tempo foi marcado pelo igualdade. As equipes eram iguais em campo. O Galo, porém, teve a primeira melhor oportunidade. Cazares cobrou falta, pelo lado do campo, e levou muito perigo a Fábio. A partida se mostrou mais calma na etapa final. O Cruzeiro tentava buscar o ataque, mas não conseguia furar o bloqueio atleticano, muito bem armado por Roger Machado e Yago. Já o Galo conseguia dar velocidade na saída de bola, comandado sempre por Cazares.

Quando o jogo tinha perdido em intensidade, Cazares fez a diferença novamente. O camisa 10 fez boa jogada pela direita, cruzou a bola e encontrou Fred na área, sozinho, para colocou no fundo das redes.

“Informação publicada é informação pública. Porém, para chegar até você, um grupo de pessoas trabalhou para isso. Seja ético. Copiou? Informe a fonte.”
Publicado por Jornal Folha do Progresso, Fone para contato 93 981177649 (Tim) WhatsApp:-93- 984046835 (Claro)   E-mail:folhadoprogresso@folhadoprogresso.com.br

error: Jornal Folha do Progresso
%d blogueiros gostam disto: