Criador de grupo de WhatsApp usa de falsas informações para difamar imprensa nas redes sociais em Novo Progresso

image_pdfimage_print

Com falsas informações Donizete Duarte, ofende a imprensa e tenta denegrir a imagem da atual gestão municipal – (foto:Ilustrativa)

O intitulado líder oposicionista de direita, que criou vários grupos no WhatsApp, com objetivo de fazer politicagem tentando defender a ideologia do atual presidente Jair Bolsonaro, mas na pratica age na contramão, com divulgação de boatos quem vez de ter um alvo em específico, têm o objetivo de gerar pânico na população.

Leia Também:Chefe grileiro cria grupo de WhatsApp de direita em Novo Progresso

Donizete volta cena outra vez ,coma falsas informações para atacar a imprensa e atual administração do município de Novo Progresso. Donizete se intitula como o falso Bolsonarista Progressense. Usa inclusive de falsas informações para se aproximar dos adeptos ao atual presidente. Em controvérsias ao mesmo tempo que ofende a imprensa local, lança radialista para ser pré candidato a prefeito pelo grupo direita renovada da cidade de Novo Progresso!!

Leia Também:Assessor do Prefeito comanda invasão dos sem Tetos em Novo Progresso

Atacou Grupo da Rádio Cultura FM

Na postagem fácil de observar o despreparo do autor, que usa um CNPJ de empresa com nome de empresário parecido com de um radialista. Em seguida solta gargalhadas e ironiza ” sempre a rádio a imprensa no meio“…..

*Donizete mostra agir com revolta ao tenta denegrir  a imprensa local, fica claro que posta com sensacionalismo, de forma outra tenta ludibriar (fazer acreditar em algo que não é verdadeiro; enganar com palavras capciosas; usar de dissimulação) a consciência dos membros do grupo que até pensam ser verdade a mentira postada, do falsário líder direita@!?

(Reprodução)
(Reprodução)

Donizete Duarte, figura bastante conhecida na cidade desde que foi assessor do ex-prefeito Osvaldo Romanholi (PR) , onde liderou invasão em uma propriedade da família PRAZERES, pioneira em Novo Progresso, para criar assentamento popular, cobrava mensalidade para poder ter o direito da posse, por sua vez agora tenta difamar pessoas de bem de nossa comunidade. O radialista Edio Rosa se manifestou.

Atualmente é administrador de dois grupos – Direita Renovada e Zé Chico, onde deleta os que contrariam sua versão, desta vez   usou nome falso de empresa para difamar locutores,radialistas, jornalistas e atingir administração municipal. Donizete divulgou um CNPJ apontando o ex-radialista Zé Barros como dono de uma empresa que ganhou licitação publica no município. Em áudio  ironiza, satiriza os radialistas  a imprensa em modo geral -com gargalhadas irônicas – nos grupos de WhatsApp que administra.

informação Falsa

Mentira do Donizete – O nome do proprietário da empresa é JOSÉ BARROS DE ALMEIDA ao contrario o nome do radialista que é JOSÉ MARIA PEREIRA BARROS outra pessoa outro CPF.
O radialista Édio Rosa diretor da rádio comunitária Cultura FM, de posse das ofensas divulgou áudio para rebater o difamador nas redes sociais
Entenda o caso ouça o áudio abaixo;

Saiba o que fazer em casos de difamação, calúnia e cyberbulling na internet

Como denunciar
Os crimes de: Ameaça (art. 147 do Código Penal), Calúnia (art. 138 do Código Penal), Difamação (art. 139 do Código Penal), Injúria (art. 140 do Código Penal) e Falsa Identidade (art.307 do Código Penal), dependem de queixa realizada pela própria vítima. Estes crimes, mesmo cometidos pela Internet, devem ser denunciados pela vítima na delegacia mais próxima da residência dela ou em uma delegacia especializada em crimes cibernéticos. Já os casos de Pornografia Infantil, Racismo, Homofobia, Xenofobia, Apologia e incitação a crimes contra a vida e Neo Nazismo podem ser feitas na Central Nacional de Denúncias de Crimes Cibernéticos.

Crimes online: os perigos do mau uso das redes sociais e da disseminação de informações falsas na internet

Os boatos e as famosas fofocas são antigos e existem nos mais diversos lugares do mundo. Com o aumento da utilização de mídias sociais e aplicativos de celular, essas práticas tornaram-se ainda mais comuns e perigosas. Hoje em dia é difícil alguém não ter recebido ou compartilhado uma informação falsa. Para evitar a desinformação, existe até site especializado em desmentir histórias que são contadas online. É o caso do Boatos.org, por exemplo.

Antes conhecidas como hoaxes, as informações falsas disseminadas na internet agora são chamadas de pós-verdades. Cada vez mais pessoas ou instituições estão sendo vítimas desse tipo de prática, que muitas vezes chega a ser criminosa.

A Internet é sem dúvida alguma o ambiente mais fantástico criado pelo homem. Palco de interação, educação, negócios, considerada condição e princípio necessário ao desenvolvimento da sociedade. Fantástica fonte inesgotável de informação. Sua arquitetura possibilitou a todos a possibilidade de serem conteudistas, de falarem, de publicarem, postarem e também de noticiarem.

A questão se agrava quando aqueles que se igual o caso acima , informação não tem compromisso com a realidade. Vivenciamos a onda dos “hoaxes” ou boatos. Desinformações que se proliferam na velocidade dos compartilhamentos e que são capazes de influenciar e conduzir pessoas a ações infundadas, prejudiciais ou perigosas. Milhares de usuários desatentos, acabam por contribuir para a proliferação da ofensa.

Identificar um boato não é uma tarefa simples, mas basicamente é necessário atenção para a fonte da notícia, checar e comparar com outras fontes confiáveis, avaliar comentários sobre a postagem ou mesmo avaliar outros elementos, como conteúdo apelativo, dentre outros. Notícias importantes são em regra noticiadas pela imprensa e não por correntes. Lamentavelmente poucos têm a consciência dos danos que podem ser causados quando uma mentira é levada adiante, com um compartilhamento ou encaminhamento.

A orientação do jurista consultado pelo Jornal Folha do Progresso, que antes de compartilhar as postagens, procurar informar-se da veracidade do assunto que vai compartilhar, par não ser co-autor de falsas informações e ter que responder na justiça.”A pessoa que publica esse tipo de boato pode ser enquadrada no código penal que trata de injúria, difamação e calúnia. O advogadp ainda disse que a responsabilidade de divulgação de notícias falsas é de todos que publicam.”

Por:JORNAL FOLHA DO PROGRESSO

Envie vídeos, fotos e sugestões de pauta para a redação do JFP (JORNAL FOLHA DO PROGRESSO) Telefones: WhatsApp (93) 98404 6835- (93) 98117 7649.

“Informação publicada é informação pública. Porém, para chegar até você, um grupo de pessoas trabalhou para isso. Seja ético. Copiou? Informe a fonte.”
Publicado por Jornal Folha do Progresso, Fone para contato 93 981177649 (Tim) WhatsApp:-93- 984046835 (Claro) -Site: WWW.folhadoprogresso.com.br   E-mail:folhadoprogresso@folhadoprogresso.com.br e/ou e-mail: adeciopiran_12345@hotmail.com

 

 

error: Jornal Folha do Progresso
%d blogueiros gostam disto: