Cruzeiro bate o Sport na Ilha do Retiro e garante permanência na elite

image_pdfimage_print

Fonte: Gazeta Esportiva (foto: Ligth Press/arquivo) – O Cruzeiro não tomou conhecimento do Sport, em Pernambuco, e venceu por 1 a 0, na Ilha do Retiro, na noite desta quarta-feira, em confronto válido pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro. O gol do volante Henrique tirou a Raposa de qualquer risco de rebaixamento para a série B.
A partida foi equilibrada. O Sport foi melhor em boa parte da etapa complementar, mas, justamente quando mandava na partida, inclusive, tinha acabado de perder um pênalti com Diego Souza, o Cruzeiro deu a resposta e conseguiu o tento para o triunfo. Na etapa final, o Leão não conseguiu furar o bloqueio azul e acabou batido.

O Cruzeiro volta agora aos campos no próximo domingo, no Mineirão, às 17h (de Brasília), quando recebe o Santos, pela 36ª rodada do Brasileirão. O Sport vai até a Arena da baixada, no mesmo dia e horário, para duelar com o Atlético-PR.

Sem o meia Robinho, contundido, O técnico Mano Menezes aproveitou para comandar o retorno do jovem Marcos Vinícius, recuperado de contusão recentemente. Ao lado da promessa, o selecionável uruguaio, Arrascaeta, chegou a tempo e ajudava na armação de jogadas.

Apesar de jogar em casa, o Sport viu o Cruzeiro chegar primeiro. Manoel fez lançamento para Willian, o camisa 9 evitou a saída, mas não conseguiu dar sequência da jogada por causa da zaga adversária. Minutos depois, o Leão deu o troco, Diego Souza fez o lançamento para Samuel Xavier e, depois do cruzamento, Manoel chegou para tirar. Os lances confirmavam o bom inicio de partida.

Aos 14, Diego Souza mostrou que está em boa fase. O experiente jogador fez um ótimo lançamento, com estilo, e encontrou Rogério, na esquerda. A defesa celeste, porém, chegou a tempo para evitar o pior.

O Cruzeiro, no entanto, não conseguia encontrar espaços para sair jogando. Com isso, trocava muitos passes na defesa. O Sport, por sua vez, esperava no campo de defesa, com sua proposta de jogo. Aos 20, em boa chegada do Leão, Diego Souza recebeu lançamento, a zaga tirou, mas, na sobra, Rogério finalizou e levou perigo a meta de Rafael.

Na sequência do lance, a bola sobrou novamente para para Diego Souza, ele tentou uma finalização estilosa, mas a bola subiu demais e foi para a linha de fundo. O Cruzeiro mostrava que o empate estava de bom tamanho – algo necessário para o clube que se livra do rebaixamento com a igualdade. Além disso, a Raposa encontrava dificuldades para marcar o meia Diego Souza, algo que se mostrava perigoso.

Aos 33, o Cruzeiro perdeu uma oportunidade clara para abrir o placar. O camisa 9, Willian, recebeu livre, na cara do gol, mas fez uma finalização ruim e não conseguiu fazer o gol. O erro irritou bastante o técnico Mano Menezes. Dois minutos depois, Rogério recebeu a redonda, finalizou rasteiro e Rafael defendeu.

Quem não faz, leva!
Aos 38, o meia Diego Souza recebeu lançamento na área, deixou o corpo e Lucas Romero fez pênalti no jogador. Na cobrança, o próprio camisa 87 chutou forte e a bola parou no travessão.

No contra-ataque, a Raposa conseguiu um escanteio. Na cobrança, Henrique aproveitou a chance, chutou forte e abriu o placar para o Cruzeiro na Ilha do Retiro.

A volta do segundo tempo mostrou o Cruzeiro chegando primeiro novamente. O atacante Willian fez bom passe e colocou Arrascaeta em boas condições. Ele finalizou, quase sem ângulo, e a bola levou perigo contra a meta de Magrão.

O Cruzeiro voltou animado e minutos depois chegou novamente com perigo. O meia Marcos Vinicius chutou forte e Magrão novamente foi exigido.

O Sport reagiu e passou a pressionar o Cruzeiro após os 5 minutos. O Leão tinha o resultado contrário e passou a buscar o gol para tentar uma sorte melhor dentro da partida.

Algo forte no segundo tempo é a ausência em campo do meia Diego Souza. O atleta parecia ter sentido o peso do pênalti perdido e passou a não levar tanto perigo contra a zaga celeste como no primeiro tempo. A Raposa, contudo, também não tinha boa capacidade no ataque, embora não tinha grandes problemas na defesa.

O Cruzeiro, porém, recuou bastante e esperou o Sport em seu campo de defesa. Com isso, o Sport, que buscava o resultado dentro de seus domínios passou a ser mais forte no ataque. Aos 17, em cruzamento na área, Diego Souza subiu mais que todo mundo e a zaga tirou a bola para escanteio. As chances, entretanto, não se mostravam tão frequentes, parte disso por causa da boa postura defensiva celeste.

Aos 25, Rogério recebeu a bola em boas condições, mas finalizou mal e a a redonda foi direto para fora. Dois minutos depois, Diego Souza recebeu na área, entregou para Rogério e a zaga da Raposa teve trabalho para tirar a redonda.

Atento a pressão do Leão, Mano identificou os problemas em campo e fez algumas alterações, em busca de ficar mais tempo com a bola. E surtiu efeito: minutos depois de sua entrada, Ramon Ábila teve uma boa oportunidade e deu trabalho a defesa adversária. A partida terminou com pressão do clube da casa, mas a Raposa conseguiu se defender bem para segurar o resultado e sair de qualquer risco.

“Informação publicada é informação pública. Porém, para chegar até você, um grupo de pessoas trabalhou para isso. Seja ético. Copiou? Informe a fonte.”
Publicado por Jornal Folha do Progresso, Fone para contato 93 981177649 (Tim) WhatsApp:-93- 984046835 (Claro)   E-mail:folhadoprogresso@folhadoprogresso.com.br

error: Jornal Folha do Progresso
%d blogueiros gostam disto: