Cunha diz que ‘tecnicamente’ não é réu no STF

image_pdfimage_print

Cunha alega que vem sendo alvo de “perseguição” por Rodrigo Janot

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), afirmou nesta terça-feira (3) que “tecnicamente” não é réu no Supremo Tribunal Federal (STF).

A reportagem do G1 recorda que há exatamente dois meses, o Supremo decidiu, por unanimidade, tornar o peemedebista réu por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, aceitando a denúncia enviada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Cunha argumenta que o acórdão (inteiro teor da decisão proferida pela Corte) ainda não foi publicado e que ele entrará com embargos que podem modificar a decisão do pleno. No entanto, a publicação refere que a possibilidade de o peemedebista conseguir modificar a decisão é considera muito remota.

“Tecnicamente eu sequer sou réu no Supremo, porque houve o julgamento da aceitação da denúncia (da PGR), o acórdão não foi publicado, cabe embargos e eu porei embargos, que podem inclusive ter efeitos modificativos”, disse o presidente da Câmara.

Cunha também alega que vem sendo alvo de “perseguição” por Janot. Ele disse ainda que pediu a abertura de novo inquérito para investigar o deputado. O pedido foi feito com base na delação premiada do senador Delcídio Amaral (Sem partido-MS). Cunha chamou a ação de política e disse que há uma “perseguição clara e nítida”.

“Desde que houve a votação do processo de impeachment está havendo uma aceleração. Daqui a pouco até multa de trânsito vai ter abertura de inquérito contra mim, então acho que é uma ação política, uma perseguição clara e nítida que está tendo e vamos responder da forma devida. Simples assim, cada dia tem um absurdo diferente”, criticou o deputado.

Presidência da República

Questionado se ficaria confortável caso tivesse que assumir a Presidência da República, Cunha não respondeu e argumentou que está na linha sucessória na condição de “substituto eventual”, mesma situação dos presidentes do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e do STF, ministro Ricardo Lewandowski.

“Não vou comentar hipóteses, eu não sou sucessor do Presidente da República, sempre estive na linha como substituto eventual, como está o presidente Renan e o presidente Lewandowski”, afirmou.

Por Notícias Ao Minuto

Publicado por Jornal Folha do Progresso, Fone para contato 93 981151332 (Tim) WhatsApp:-93- 984046835 (Claro)  (093) 35281839  E-mail:folhadoprogresso@folhadoprogresso.com.br

error: Jornal Folha do Progresso
%d blogueiros gostam disto: