Entidades confirmam bloqueio da BR-163 em Novo Progresso

image_pdfimage_print

Entidades devem bloquear BR-163 em Novo Progresso – exigem alteração da MP 756 que modificou  área da Flona Jamanxim, Parque do Rio Novo e Criou  nova APA e extinguiu área produtiva (branca) as margens do rio jamanxim. A rodovia será bloqueada na próxima quarta-feira 01 de fevereiro.

Faixa as margens da rodovia justifica o manifesto.
Faixa as margens da rodovia justifica o protesto.

Segundo a justificativa do Governo Federal a MP (Medida Provisória), vem ao encontro para   construir ferrovia entre o estado do Mato Grosso e o Estado do Pará. Na ultima quinta-feira (26) o comercio fechou (foto) em apoio ao movimento que reuniu milhares de pessoas em um ato publico no centro da cidade.

Leia Também:Produtores de grãos do Mato Grosso querem que o governo estude a construção de uma ferrovia de 1.100 km entre Lucas do Rio Verde (MT) e Itaituba (PA) para levar a produção agrícola da região para a exportação.

Representantes da Sociedade Civil Organizada envolvendo sindicatos dos produtores rurais, garimpeiros,madeireiros, associação comercial, Ordem dos Advogados do Brasil, membros de igrejas, clubes de serviços, conselho de pastores de Novo Progresso, decidiram bloquear a passagem de veículos na rodovia federal, na próxima quarta-feira (1º de fevereiro) pela manhã. A rodovia será fechada na saída da cidade sentido Novo Progresso/Santarém e sentido Novo Progresso/Cuoaba. O movimento tem o apoio da Prefeitura e Câmara de vereadores.

Uma equipe de lideranças local está em Brasília onde preparam emendas para serem apresentadas na comissão do Congresso Nacional onde tramita MP 756/2016.

O movimento sustenta que a manutenção da MP 756/2016 alteração prejudicará a economia local, já que o projeto visa apenas atender a construção da ferrovia.

A MP 756/2016  foi assinada pelo presidente Michel Temer, no dia 20 de dezembro. “Devido a passagem da Ferrovia foi ‘barganhada’ uma área do parque por uma área produtiva do município. Devido a isso, haverá falência do principal setor que movimenta o comércio. Ficarão apenas 3,9% das áreas do município para produção agrícola. Ou seja, mais de 230 mil hectares de terras produtivas vão virar Área de Preservação Ambiental e não existe nenhum projeto para beneficiar os produtores, agricultores e a cidade”.

As entidades cobram “ALTERAÇÃO” da medida provisória que MODIFICOU os limites de três Unidades de Conservação (UCs), ( FLONA, APA, PARNA) e criou uma nova  (APA) para viabilizar o traçado e construção da ferrovia.

Faixa as margens da rodovia justifica o manifesto.
Faixa as margens da rodovia justifica o protesto.

Da Redação Jornal Folha do Progresso

“Informação publicada é informação pública. Porém, para chegar até você, um grupo de pessoas trabalhou para isso. Seja ético. Copiou? Informe a fonte.”

Publicado por Jornal Folha do Progresso, Fone para contato 93 981177649 (Tim) WhatsApp:-93- 984046835 (Claro)   E-mail:folhadoprogresso@folhadoprogresso.com.br

error: Jornal Folha do Progresso
%d blogueiros gostam disto: