Força-Tarefa de Intervenção Penitenciária deixa o Pará após um ano

image_pdfimage_print

Durante esse período, foi feito um treinamento tanto na parte física, quanto intelectual onde foram montadas estratégias dentro das penitenciárias. (Foto:Reprodução)

Após um ano, a Força-Tarefa de Intervenção Penitenciária (FTIP), do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) deixou o estado no último sábado (22). Durante esse período, foi feito um treinamento tanto na parte física, quanto intelectual onde foram montadas estratégias dentro das penitenciárias. Esse trabalho aconteceu de forma intensiva principalmente no Complexo Penitenciário de Santa Izabel e também Unidades Prisionais da região Metropolitana de Belém. No total 371 agentes federais realizaram todos esses serviços.

Dentro desse trabalho houveram críticas por parte de instituições ligadas aos direitos humanos com relação a atualização da força penitenciária. Parentes de detentos também denunciaram a questão de tortura.

Massacre em presídio

A força-tarefa foi enviada pelo ministro Sérgio Moro a pedido do governador Helder Barbalho, após o massacre que resultou na morte de 62 presos em um presídio de Altamira, no sudoeste do Pará.

Um confronto entre facções criminosas causou a morte de 58 detentos. No dia 29 de julho de 2019, líderes do Comando Classe A (CCA) incendiaram cela onde estavam internos do Comando Vermelho (CV). Foram 58 mortos. De acordo com a Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe), 41 morreram asfixiados e 16 foram decapitados. Na terça, mais um corpo foi encontrado carbonizado nos escombros do prédio.

Após as mortes, o governo do estado determinou a transferência imediata de dez presos para o regime federal. Outros 36 seriam redistribuídos pelos presídios paraenses.

No dia 31 de julho de 2019, quatro envolvidos na chacina de Altamira foram mortos durante o transporte para Belém, segundo a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Segup). Com isso, o número de mortos no confronto chega a 62.
penitenciaria

Massacre no presídio de Altamira — Foto: Arte/G1

Por G1 PA — Belém

Envie vídeos, fotos e sugestões de pauta para a redação do JFP (JORNAL FOLHA DO PROGRESSO) Telefones: WhatsApp (93) 98404 6835- (93) 98117 7649.

“Informação publicada é informação pública. Porém, para chegar até você, um grupo de pessoas trabalhou para isso. Seja ético. Copiou? Informe a fonte.”
Publicado por Jornal Folha do Progresso, Fone para contato 93 981177649 (Tim) WhatsApp:-93- 984046835 (Claro) -Site: www.folhadoprogresso.com.br   e-mail:folhadoprogresso.jornal@gmail.com/ou e-mail: adeciopiran.blog@gmail.com

 

 

 

error: Jornal Folha do Progresso
%d blogueiros gostam disto: