Governo faz mapeamento de estrados do PA com risco de erosão

image_pdfimage_print

52 municípios foram mapeados pela Setran em parceria com defesa civil.
Prefeituras foram avisadas de risco.

As estradas de mais de um terço dos municípios do Pará correm riscos de serem danificadas por processos naturais de erosão. A conclusão é da Secretaria de Estado de Transporte (Setran) que, em parceria com a Defesa Civil, fez um mapeamento das rodovias de 52 dos 144 municípios Pará.

Segundo a Setran, as prefeituras destes 52 municípios já foram avisadas do risco em algumas estradas, e agora a Defesa Civil Estadual pretende expandir o monitoramento, para ter um mapa mais amplo das condições das rodovias paraenses durante o período de chuvas.

“A Defesa Civil está fazendo um correto planejamento neste momento e daqui a uma semana nós estaremos saindo, visitando in loco as prefeituras para tentar alertá-los ainda mais e demonstrar a atenção que se deve ter nessas áreas de risco. Cerca de 80% dos municípios tiveram seus prefeitos trocados e a gente precisa reiniciar esse trabalho de informação e integração com os novos gestores municipais para fazer o trabalho preventivo”, disse o Capitão Bruno Freitas, chefe de operações da Defesa Civil.

Segundo o governo, serão realizadas reuniões em pólos regionais, como Marabá em Altamira, para conversar com os gestores de cada região sobre as ações que podem ser tomadas para evitar problemas como o enfrentado no trecho da PA-324, cujo tráfego foi parcialmente interditado após a cabeceira de uma ponte ser levada pela força da água.

Obra na PA ainda deve durar pelo menos 10 dias
Sobre os problemas encontrados na PA-324, a Setran informou que as obras de contenção foram concluídas na quinta-feira passada (19), e que o serviçop de reaterro foi iniciado no dia seguinte. Nesta segunda-feira (23) a pista continuou parcialmente interditada, mas a expectativa é que o trânsito seja liberado na terça (24).

Com o trânsito liberado nas duas pistas, será iniciado o serviço de reconstrução da ala de contenção de aterro, em concreto armado, que deve demorar de 10 a 15 dias

Fonte: G1.
“Informação publicada é informação pública. Porém, para chegar até você, um grupo de pessoas trabalhou para isso. Seja ético. Copiou? Informe a fonte.”
Publicado por Jornal Folha do Progresso, Fone para contato 93 981177649 (Tim) WhatsApp:-93- 984046835 (Claro)   E-mail:folhadoprogresso@folhadoprogresso.com.br

error: Jornal Folha do Progresso
%d blogueiros gostam disto: