Gugu foi processado por abuso sexual de menor e pagou R$ 1 milhão em acordo

image_pdfimage_print

Gugu foi processado por Leandro Kloppel (Foto:Reprodução)

O apresentador foi acusado pelo DJ Leandro Kloppel, em processo que durou mais de quatro anos

Um processo contra Antônio Augusto Moraes Liberato, o Gugu, corre em sigilo desde 2017 no Fórum Cível de São Paulo.

Ele teria abusado sexualmente de um adolescente, segundo informações do site Diário do Centro do Mundo (DCM), divulgadas na segunda-feira (10).

Na ação, o pedido de indenização era de R$ 10 milhões; mas o processo chegou ao fim quando a vítima renunciou a ação após um acordo de R$ 1 milhão. Gugu teria arcado ainda com os honorários advocatícios.

Leandro Kloppel Lo Frano foi a pessoa que processou o apresentador. Em uma das 40 tramitações do processo, que se estedeu por pouco mais de quatro anos no Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP), a vítima diz ter sido abusada por Gugu de 1997 a 2011. Leandro ainda diz que o abusador teria usado sua influência para impedir sua permanência no reality show “Fazenda de Verão”, na época apresentado por Gugu.

Leandro alega que aos 13 anos de idade teria sofrido violência sexual por parte do apresentador e de um empresário que trabalhava no SBT.

Teste de virilidade para crianças

Ainda segundo o portal DCM, que teve acesso ao processo, Leandro teria conhecido Gugu em 1997, aos 13 anos. Ele trabalhava como modelo, e foi chamado para fazer um teste destinado à formação de um novo grupo musical chamado Boomerang. O grupo chegou a se apresentar no programa Sabadão Sertanejo, na época apresentado por Gugu, no SBT.

O portal revelou ainda que a vítima deu detalhes sobre o teste para entrar na banda. Leandro contou que teria sido obrigado a se masturbar na frente de Francisco Suassuna para mostrar virilidade. Francisco, conhecido como Ramon, era o empresário que trabalhava no SBT.

Depois da aprovação para entrar na banda, os seis garotos se mudaram para um imóvel. “Durante seis meses, entre alguns ensaios e algumas aulas, lá estava o Sr. Ramon bulinando um aqui, outro acolá. Ora atacava os meninos quando tomavam banho, ora quando dormiam, razão pela qual os garotos procuravam não mais ficar sozinhos na casa”, destaca trecho da ação.

Leandro e os garotos conheceriam Gugu seis meses depois, conforme informação do portal. O grupo teria ido a duas festas na casa do apresentador, e segundo o relato, estavam presentes: Rodolfo, da dupla ET e Rodolfo, o produtor do domingo Legal, Mariano; e Ramon.

Mas foi na segunda festa que Gugu teria pedido que Leandro fosse até o quarto dele. “Nesta oportunidade — conforme consta em relato no processo —, apenas trocas de carícias aconteceram entre os dois”.

Leandro então conta que a primeira vez que ele e Gugu passaram a noite juntos teria sido após o grupo estourar em programas na televisão.

O processo ainda cita uma viagem feita por Leandro e Gugu à Disney, presente de aniversário de 18 anos do garoto. Segundo o portal, Gugu teria assinado um documento para as autoridades norte-americanas se responsabilizando financeiramente por Leandro. O envolvimento entre os dois acabou quando ambos voltaram ao Brasil.

A vítima ainda viajou para Ibiza, na Espanha, por sugestão de Gugu, aos 23 anos. Lá ele teria sido recebido por Júnior Brasil, amigo do apresentador. Na cidade ele aprendeu inglês e se formou DJ, profissão que segue até os dias de hoje.

Como provas no processo, Leandro apresenta supostos comprovantes de depósitos feitos por Gugu em sua conta. O dinheiro era destinado ao aluguel de casas onde o DJ e o apresentador pudessem se encontrar.

O portal Metrópoles diz ter produrado Leandro para falar sobre o caso, mas ele não teria respondido os questionamentos. O portal que divulgou a ação, diz que há uma cláusula que impede o DJ de falar do caso publicamente. O advogado que representa a família de Gugu também foi procurado, e disse não poder comentar sobre o assunto, já que a ação corre em segredo de Justiça.

Por:Redação Integrada com informações de Metrópoles e DCM

Envie vídeos, fotos e sugestões de pauta para a redação do JFP (JORNAL FOLHA DO PROGRESSO) Telefones: WhatsApp (93) 98404 6835- (93) 98117 7649.

“Informação publicada é informação pública. Porém, para chegar até você, um grupo de pessoas trabalhou para isso. Seja ético. Copiou? Informe a fonte.”
Publicado por Jornal Folha do Progresso, Fone para contato 93 981177649 (Tim) WhatsApp:-93- 984046835 (Claro) -Site: WWW.folhadoprogresso.com.br   E-mail:folhadoprogresso@folhadoprogresso.com.br e/ou e-mail: adeciopiran_12345@hotmail.com

 

 

 

error: Jornal Folha do Progresso
%d blogueiros gostam disto: