Homem não identificado é assassinado a tiros em Parauapebas

image_pdfimage_print

O homem não foi identificado e morreu com uma cesta básica na mão. Relatos apontam que ele seria dependente químico. (Foto:Divulgação / Papo Carajás)

Há suspeita de que ele tenha sido executado por traficantes, numa área onde a polícia considera ser preocupante

Um homem, ainda não identificado, foi assassinado a tiros em Parauapebas, sudeste paraense. O crime ocorreu na madrugada deste domingo (2). Além da dificuldade em identificar e conseguir compreender a dinâmica do crime, nem há testemunhas. Um desafio para a atuação dos policiais civis e militares que atenderam à ocorrência. Por enquanto, só há informações superficiais e que podem estar ligadas ao tráfico de drogas.

Informalmente, como levantaram os policiais, a vítima era conhecida na área por ser dependente químico. Mas ninguém sabe o nome dele, exatamente. Próximo ao corpo, foram encontrados uma cesta básica, um alicate, uma faca e um celular, que será periciado para tentar compreender melhor as possíveis motivações do crime. Eram aproximadamente 3h30 e o rapaz passava pela rua Amazonas, bairro Primavera.

Essa área do bairro, apontam os policiais, tem uma certa concentração de pontos de venda de drogas. E é isso que leva à suspeita de que o crime tenha relação com o tráfico de drogas. No local, peritos criminais do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves encontraram vários cartuchos de munição .380, que serão periciados para tentar rastrear as armas usadas no assassinato. A vítima foi atingida na cabeça e nas nádegas.

Saiba como denunciar e ajudar nas investigações

Quaisquer informações relacionadas a crimes podem e devem ser repassadas ao Disque-Denúncia (181). Não é preciso se identificar. A ligação é segura, gratuita e pode ser feita de qualquer aparelho. Se houver necessidade de uma ação policial mais urgente, o melhor é ligar para o (190)

Pelo telefone (91) 98115-9181, os cidadãos podem paraenses podem dialogar com a Inteligência Artificial Rápido e Anônimo, que é personalizada pela atendente virtual Iara do WhatsApp. Com ela, é possível desenvolver uma conversa inteira. A Iara é capaz de obter todas as informações necessárias para que os órgão de segurança investiguem uma denúncia repassada, de forma segura e anônima. Ela recebe texto, fotos, áudio e vídeos. Também dá para falar com a Iara e fazer a denúncia pelo site da Segup.

A Redação Integrada de O Liberal também recebe, a qualquer momento, denúncias e informações de ocorrências em texto, áudio, fotos e vídeos pelo WhatsApp. Basta entrar em contato pelo número (91) 98439-8833.

Por:Victor Furtado

Envie vídeos, fotos e sugestões de pauta para a redação do JFP (JORNAL FOLHA DO PROGRESSO) Telefones: WhatsApp (93) 98404 6835- (93) 98117 7649.

“Informação publicada é informação pública. Porém, para chegar até você, um grupo de pessoas trabalhou para isso. Seja ético. Copiou? Informe a fonte.”
Publicado por Jornal Folha do Progresso, Fone para contato 93 981177649 (Tim) WhatsApp:-93- 984046835 (Claro) -Site: www.folhadoprogresso.com.br   e-mail:folhadoprogresso.jornal@gmail.com/ou e-mail: adeciopiran.blog@gmail.com

error: Jornal Folha do Progresso
%d blogueiros gostam disto: