IPCA de abril sobe 0,1% p.p ante março e fica em 0,22%.

image_pdfimage_print

O IBGE mostrou nesta quinta-feira que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de abril foi de 0,22%, ficando 0,13 ponto percentual acima do resultado de março (0,09%). O acumulado no ano foi de 0,92%, o menor nível para um mês de abril desde a implantação do Plano Real. No acumulado dos últimos 12 meses ficou em 2,76%, depois de registrar 2,68% nos 12 meses imediatamente anteriores.

Em abril de 2017, o IPCA havia atingido 0,14%. Já o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) de abril foi de 0,21%, com o acumulado do ano ficando em 0,69%, alcançando também o menor nível para um mês de abril desde a implantação do Plano Real.
Entre os nove grupos de produtos e serviços pesquisados, apenas Comunicação apresentou deflação em abril, com variação de -0,07%. Transportes, com variação de 0,00%, mostrou, na média, estabilidade nos preços de março para abril. Já os demais grupos vieram com alta, variando de 0,08% a 0,91%

O IPCA é calculado pelo IBGE desde 1980, se refere às famílias com rendimento monetário de 01 a 40 salários mínimos, qualquer que seja a fonte, e abrange dez regiões metropolitanas do país, além dos municípios de Goiânia, Campo Grande e de Brasília. Para cálculo do índice do mês foram comparados os preços coletados no período de 30 de março a 27 de abril de 2018 (referência) com os preços vigentes no período de 02 de março a 29 de março de 2018 (base).

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) foi de 0,21% em abril e ficou 0,14 p.p. acima da taxa de 0,07% de março. O acumulado no ano foi de 0,69%, seu menor nível para um mês de abril desde a implantação do Plano Real. No acumulado dos últimos doze meses, o índice foi de 1,69%, ficando acima do 1,56% registrado nos 12 meses imediatamente anteriores. Em abril de 2017, o INPC registrou 0,08%.
Os produtos alimentícios tiveram alta de 0,11% em abril, enquanto, no mês anterior, recuaram 0,17%. O agrupamento dos não alimentícios subiu 0,25%, enquanto, em março, havia registrado 0,17%.

Em termos regionais, Goiânia (0,27%) teve queda e Campo Grande (0,72%) alta. Em ambos os locais o destaque foi o item energia elétrica. Em Goiânia, a variação de -4,11% foi motivada pela redução na alíquota do PIS/COFINS. Em Campo Grande (9,69%), houve reajuste de 10,65% nas tarifas, em vigor desde 8 de abril.

Para cálculo do índice do mês foram comparados os preços coletados no período de 30 de março a 27 de abril de 2018 (referência) com os preços vigentes no período de 02 de março a 29 de março de 2018 (base).

Por: Último instante
Envie vídeos, fotos e sugestões de pauta para a redação do JFP (JORNAL FOLHA DO PROGRESSO
no (93) 98404 6835- (93) 98117 7649.

“Informação publicada é informação pública. Porém, para chegar até você, um grupo de pessoas trabalhou para isso. Seja ético. Copiou? Informe a fonte.”
Publicado por Jornal Folha do Progresso, Fone para contato 93 981177649 (Tim) WhatsApp:-93- 984046835 (Claro)
Site: WWW.folhadoprogresso.com.br E-mail:folhadoprogresso@folhadoprogresso.com.br

error: Jornal Folha do Progresso
%d blogueiros gostam disto: