Motoristas enfrentam poeira buracos e falta de sinalização na caótica rodovia BR 163 no Pará

image_pdfimage_print

A viagem pela BR-163 no Pará , motorista enfrentam  poeira ,buracos e falta de sinalização (Foto:Jornal Folha do Progresso)

Buracos, falta de sinalização, segurança e condições precárias da rodovia. Este é o cenário para quem transita pela BR-163, no trecho  que liga o Norte do estado de Mato Grosso ao Pará pela rodovia federal até os portos de Santarém e Miritituba.
A reportagem do Jornal Folha do Progresso percorreu nesta semana o trecho entre Novo Progresso(PA) e Guarantã do Norte(MT), conversou com  motoristas  sobre as dificuldades em transitar pela estrada, que é de tomadas por buracos e tem chão em diversas parte do trecho.
Saindo de Novo Progresso até a comunidade de Alvorada da Amazônia , a BR-163 foi recuperada e os buracos sumiram, ficaram as panelas da operação tapa buraco no trecho de 35 km, com sinalização deficiente.

Poeira nos trechos em obra gera transtorno e perigo aos motoristas (Foto:Jornal Folha do Progresso)
Poeira nos trechos em obra gera transtorno e perigo aos motoristas (Foto:Jornal Folha do Progresso)

Seguindo de Alvorada da Amazônia  sentido Mato Grosso, neste trecho de aproximadamente 170 km até a comunidade de Cachoeira da Serra passando por Castelo de Sonhos no municipio de Altamira,encontramos buracos, poeira e falta de sinalização – “mesmo em obras a sinalização é  precária”.

No caminho paramos para conversar com o  motorista Dorivaldo Gomes Reis, de  47 anos,  faz percurso de 980 km entre as cidade de Sinop (MT) ao porto de Miritituba em Itaituba (PA), a há cerca de três (3) anos, relata que os obstáculos do trabalho é cansativo e também perigoso.

“Trabalho para empresa , sempre andamos em dois juntos, isto acontece por uma questão de segurança”. O objetivo, segundo Dorivaldo, é que um veículo dê assistência para o outro em caso de problemas no trecho. Já estourou pneu, quebrou balança,suspensão e na ultima semana por pouco não tombei o caminhão na poeira, outro veio fora da pista para desviar de buraco e demos de frente,desviei ,foi por pouco,relatou.

Sistema PARE & SIGA (Foto:Jornal Folha do Progresso)
Sistema PARE & SIGA (Foto:Jornal Folha do Progresso)

As dificuldades variam conforme o período do ano. Na seca, é a falta de visibilidade, devido a poeira e os buracos. Já na chuva, os atoleiros e também a falta de sinalização  que na maioria do trecho é precária.
Segundo Dorivaldo , o percurso entre Castelo de Sonhos e Novo Progresso, que é de pouco mais de 200 km, já chegou a ser realizado em 3h30mn, agora com esta operação tapa buraco no trecho a gente não sabe que  chega, saio ás 6 horas para chegar ao meio dia em Novo Progresso, devido a péssima condição da estrada, argumentou.
Dorivaldo  relata que já ficou parado na estrada por até 3 horas a espera de um veículo que pudesse retirar o carro quebrado da rodovia – passei por um buraco e o caminhão quebrou, meu companheiro seguiu viagem sem que percebesse o estrago,disse.
Ele argumenta que a situação gera insatisfação entre os motoristas, que em alguns casos desistem do trecho.

O Trecho de cachoeira da Serra rumo Guarantã do Norte(MT), a rodovia esta sendo recuperada pela empresa Jurema, os serviços adiantado e a pista esta sem buracos nos 130 km de pavimentação.

Novo Progresso/Guarantã (MT)

A rodovia entre Novo Progresso e Guarantã do Norte (MT) trecho de 370km esta em obras, varias empresas estão instaladas neste trajeto, em vários pontos motoristas tem que parara para o sistema PARE & SIGA, muita poeira, buracos e sinalização precária num transito tomado por carretas – carregadas para os portos do Pará com milho e soja . O Fluxo de caminhão retornando dos portos é intenso, as duas pistas são tomadas pro carretas.
Os acidentes são constantes, em sua maioria por descuido de motoristas, imprudência e falta de sinalização.
veículos menores são minoria no trecho, eles se misturam entre as carretas tendo que fazer da viagem uma aventura em ultrapassar centenas delas para chegar neste sentido da rodovia, uma viagem de muito risco.
No  percurso dentro do Estado do Pará, não tem cobertura da PRF.

O DNIT   executa obra em todo trecho.

Por:JORNAL FOLHA DO PROGRESSO

Envie vídeos, fotos e sugestões de pauta para a redação do JFP (JORNAL FOLHA DO PROGRESSO) Telefones: WhatsApp (93) 98404 6835- (93) 98117 7649.

“Informação publicada é informação pública. Porém, para chegar até você, um grupo de pessoas trabalhou para isso. Seja ético. Copiou? Informe a fonte.”
Publicado por Jornal Folha do Progresso, Fone para contato 93 981177649 (Tim) WhatsApp:-93- 984046835 (Claro) -Site: WWW.folhadoprogresso.com.br   E-mail:folhadoprogresso@folhadoprogresso.com.br e/ou e-mail: adeciopiran_12345@hotmail.com

error: Jornal Folha do Progresso
%d blogueiros gostam disto: