Neymar decide, Barcelona vence o Sevilla no tempo extra e ganha sua 28ª Copa do Rei

image_pdfimage_print

Por ESPN-Se não dá para ganhar na técnica, a raça tem que sobrar em campo. Ainda mais em uma final. E foi assim que o Barcelona construiu sua conquista da Copa do Rei, a 28ª de sua história, neste domingo, no Estádio Vicente Calderón, em Madri.

Após a expulsão de Javier Mascherano ainda no primeiro tempo e a lesão de Luis Suárez no segundo, o Barça segurou o empate sem gols com o Sevilla no tempo normal.

Neymar, então, apareceu para decidir: primeiro, provocou a expulsão de Banega antes de começar a prorrogação, aliviando a pressão sobre os catalães.

Depois, anotou o segundo gol na parte final da prorrogação para sacramentar o 2 a 0 no placar. Antes, Lionel Messi apareceu bem: em lançamento milimétrico, encontrou Jordi Alba dentro da área, e o lateral fez o gol do título do Barça, garantindo o “doblete” após ganhar também o Espanhol.

Para o Sevilla, que quatro dias atrás conquistou a Liga Europa, ficou o sentimento de não ter aproveitado atuar com um a mais durante 55 minutos. Ainda assim, estará na próxima Liga dos Campeões e mostrou outra vez que consegue fazer frente aos gigantes do país.

O JOGO

O primeiro tempo teve muita transpiração, mas pouca inspiração. O Barcelona assustou em chutes de fora da área – primeiro com Luis Suárez antes dos dez minutos após cavadinha de Iniesta e depois com Daniel Alves em rebote de escanteio.

Marcando muito, o Sevilla não dava espaço para tramas do time catalão e conseguiu uma expulsão: após chutão, Kevin Gameiro ia partir sozinho, mas Javier Mascherano o agarrou antes de entrar na área. Cartão vermelho direto para o argentino.

A cobrança de Banega para bela defesa de Ter Stegen foi a melhor chance do time andaluz na primeira etapa. O Barça voltou a assustar em cabeceio de Piqué e boa jogada de Neymar, com chute de Messi travado pela defesa, mas nada de gols.

No segundo tempo, com um a mais, o Sevilla se lançou mais ao ataque e jogou os catalães para a defesa, algo raro de se ver nos últimos anos.

Aos 4 minutos, Banega acertou a trave direita após chutar e a bola desviar em Piqué. Mais um desespero para o Barcelona: Luis Suárez sentiu lesão na perna direita ao dominar uma bola e precisou sair – entrou o brasileiro Rafinha.

Aos 19, Krychowiak pegou o rebote e chutou de primeira, mas a bola pegou em um rival e foi para fora. Banega, de novo, tentou fazer do meio-de-campo, porém foi por cima do travessão. Aos 27, Escudero bateu, e Ter Stegen salvou.

Messi teve uma chance em cobrança de falta, mas a bola foi nas mãos do goleiro Sergio Rico. A pressão do Sevilla, porém, não resultou em gol.

A arbitragem conseguiu unanimidade nas reclamações, com os jogadores enervados em campo, e Luis Enrique “possesso” na área técnica. Até que nos acréscimos Banega fez falta em Neymar, que partia rumo ao gol, e levou vermelho direto.

10 x 10 em campo, 0 x 0 no placar, e prorrogação.

BRILHA O CAMISA 10

Novamente com o mesmo número de jogadores do Sevilla, o Barcelona não foi tão pressionado e se lançou mais ao ataque novamente.

E em um passe magistral do melhor do mundo o campeão espanhol abriu o placar aos sete minutos: Messi viu a passagem de Jordi Alba e lançou do meio-campo; o lateral invadiu a área e tocou cruzado.

A partir daí, a pressão do Barça foi impressionante, e o goleiro Sergio Rico salvou o Sevilla. Primeiro, Piqué cabeceou à queima-roupa para grande defesa; no lance seguinte, Dani Alves chutou de fora, e o jogador da seleção espanhola espalmou – ainda abafou o rebote.

Nos últimos 15 minutos, o Sevilla foi com Llorente em campo, mas pouco assustou Ter Stegen, e o Barcelona cozinhou o jogo para garantir a conquista. Neymar ainda teve tempo de anotar o seu gol, em contra-ataque, para coroar o título.

Publicado por Folha do Progresso fone para contato Cel. TIM: 93-981151332 / (093) WhatsApp (93) 984046835 (Claro) Fixo: 9335281839 *e-mail para contato: folhadoprogresso@folhadoprogresso.com.br

error: Jornal Folha do Progresso
%d blogueiros gostam disto: