Polícia Civil desvenda crimes de homicídio qualificado e latrocínio ocorridos em Santarém

image_pdfimage_print

Delegados de Polícia Civil em coletiva na 16ª Seccional em Santarém na manhã desta quarta-feira (22) — Foto: Tracy Costa/G1

Três suspeitos da autoria dos crimes ocorridos em novembro de 2019 e 1º de janeiro deste ano, foram presos.

A Polícia Civil através da Delegacia Especializada de Homicídios, em Santarém, no oeste do Pará, desvendou mais dois crimes que chocaram a população. Um homicídio qualificado, ocorrido em novembro de 2019, quando um homem foi encontrado morto no bairro Santo André, e um latrocínio ocorrido em 1º de janeiro no bairro Santarenzinho. O crime vitimou um jovem de 23 anos. Três homens foram presos.

Na 16ª Seccional de Polícia Civil, durante coletiva de imprensa na manhã desta quarta-feira (22), os delegados Germano do Vale, diretor da Seccional, e o titular da delegacia de homicídios, Gilvan Almeida, contaram como a Polícia chegou aos autores dos crimes.

“O caso de latrocínio já estava na delegacia de homicídios e não foi mais passado a de roubos, já que o latrocínio é uma variante deste crime. Foram feitas representações pelo delegado Gilvan e o poder judiciário com a anuência do Ministério Público entendeu pelo decreto das prisões preventivas. Ontem foram cumpridas, após investigações desses dois casos”, disse o diretor da Seccional.

De acordo com o delegado Gilvan, o caso ocorrido no dia 1º de janeiro estava sendo tratado como homicídio, mas durante as investigações, foi constatado que se tratava de um latrocínio. “Contamos com as imagens disponibilizadas por meios de comunicação, dentro dessas imagens chegamos a um dos autores desse crime bárbaro que ceifou a vida de André Mota Corrêa, conseguimos acompanhar todos os passos dele. Os familiares também trouxeram informações que contribuíram para nós desvendarmos o que efetivamente teria ocorrido com esse jovem. E ontem tivemos êxito no cumprimento das prisões preventivas decretadas aos dois maiores de idade, que neste momento estão sendo ouvidos em interrogatório”, disse o titular da delegacia de homicídios.

O crime repercutiu em toda a cidade, pela forma bárbara como a vítima foi morta, a pauladas e pedradas. Sem chance de defesa ou socorro, o jovem faleceu ainda no local. “Nós fizemos o trabalho em cima disso, para realmente apurar o que tinha acontecido, já que a vítima teve subtraídos o boné, um celular e uma certa quantia em dinheiro, e nós vemos o quanto foi desproporcional a violência praticada em face desses bens que jamais justificariam a perda de uma vida”, explicou o delegado Gilvan.

Segundo a Polícia, as investigações continuam para o cumprimento do prazo legal do inquérito que será encaminhado à Justiça. Os suspeitos têm direito à defesa, e em um primeiro momento não quiseram falar. Depois, acompanhados dos advogados, resolveram dar sua versão dos fatos.

Ao G1, o delegado contou que a Polícia já estava atrás dos suspeitos e que eles certamente seriam capturados nos próximos dias, visto que já tinham pedido até a ajuda da mãe de um deles com o intuito de evitar qualquer tipo de confronto e assim garantir a segurança deles. “Eles são pessoas extremamente perigosas, um deles inclusive já possui antecedentes criminais como menor infrator em um crime similar, o que já demonstra a periculosidade desses jovens”, disse.

O outra resposta que estamos dando é referente ao homicídio ocorrido no dia 24 de novembro, em que a vítima Cristiano Nunes de Oliveira, de 41 anos, foi morta a facadas no bairro Santo André, por volta das 2h.

“Nós também já estávamos no encalço desse homicida, que ontem foi preso pela equipe da Nova República, pelo crime de tráfico de drogas. Nós já tínhamos mandados de busca para lugares onde ele poderia ser encontrado, mas diante da prisão, nós já o autuamos pelo homicídio”, explicou o titular da delegacia de homicídios.

Por Tracy Costa, G1 Santarém — PA

Envie vídeos, fotos e sugestões de pauta para a redação do JFP (JORNAL FOLHA DO PROGRESSO) Telefones: WhatsApp (93) 98404 6835- (93) 98117 7649.

“Informação publicada é informação pública. Porém, para chegar até você, um grupo de pessoas trabalhou para isso. Seja ético. Copiou? Informe a fonte.”
Publicado por Jornal Folha do Progresso, Fone para contato 93 981177649 (Tim) WhatsApp:-93- 984046835 (Claro) -Site: WWW.folhadoprogresso.com.br   E-mail:folhadoprogresso@folhadoprogresso.com.br e/ou e-mail: adeciopiran_12345@hotmail.com

 

 

 

error: Jornal Folha do Progresso
%d blogueiros gostam disto: