Ex agride modelo com ventilador enquanto ela dormia

image_pdfimage_print

Rosto da modelo ficou desfigurado (Foto:Reprodução/Redes Sociais)

Porta foi arrombada e vítima perdeu a consciência com o baque

A modelo Gabriela Casellato Brito, de 24 anos, despertou com o rosto ensanguentado, na manhã do dia 17 de janeiro. Ela foi agredia pelo ex-namorado um dia depois de terminar com ele, em São Paulo. Do lado da cama, o ventilador quebrado, o que ela imagina ter sido usado como objeto da agressão que a fez perder os sentidos.

A vítima registrou boletim de ocorrência contra o ex-namorado e pediu medidas protetivas com urgência. Familiares da modelo compartilharam o caso nas redes sociais, com grande repercussão.

“Você foi bem corajosa esta noite”. Esta foi a mensagem do ex-namorado após Gabriela terminar com ele, depois de dois anos de relacionamento e algumas agressões físicas e verbais. Havia um tom de ameaça, mas ela afirma que não imaginava que ele chegasse ao ponto de arrombar a porta o apartamento dela e a agredir.

modelo3Gabriela mostra as marcas das agressões (Foto:Arquivo pessoal)

Após parecer uma pessoa encantadora, o ex-namorado, segundo a modelo, nos últimos meses, passou ater comportamento abusivo, com agressões frequentes.

“Ele sempre foi uma pessoa encantadora para mim. Era típico daquele namorado que não existia, que fazia de tudo por mim, e não reclamava sequer de uma coisa minha.

Depois de um tempo ele começou a faltar com respeito ao me xingar, ofender. Já chegou a me queimar com cigarro, me dar um tapa na cara na frente de todo mundo, até que ocorreu essa última agressão”, conta Gabriela.AgressãoNa manhã do dia 17 de janeiro, Gabriela dormia no apartamento dela quando, despertou. Ela estava com diversos ferimentos e ensanguentada. Ela percebeu que o ventilador estava danificado no chão.

Deduziu que fora agredida com o objeto.Segundo o relato de Gabriela, ela levantou da cama e caminhou com dificuldade, quando percebeu que o ex estava no interior do imóvel e até ofereceu gelo para os ferimentos.

Foi quando viu a porta do apartamento arrombada. Então veio a consciência de que foi brutalmente agredida, a ponto de desmaiar. Ela pediu socorro à vizinha e foi para o apartamento dela. O ex-namorado fugiu.”Eu estava em estado de choque.

Não conseguia entender muito bem o que estava acontecendo. Quando me dei conta eu só pensei em correr, estava com muito medo de ele me matar ou de ter acontecido algo grave com as agressões que ele fez.

Estava sangrando muito por causa das agressões e com muita dor na cabeça por causa das porradas”, conta no hospital foi constatado que ela teve a mandíbula e o nariz quebrados, além de apresentar outros hematomas e ferimentos. De acordo com ela, o ex-namorado ainda roubou as chaves do apartamento dela.Familiares e amigos compartilharam o crime nas redes sociais.

“Eu precisava expor e deixar em evidência tudo o que aconteceu, não só por mim. Tudo o que aconteceu não pode ser mudado. Mas, sim, por outras mulheres que sofrem com agressões e não conseguem denunciar por medo, chantagem, dependência emocional ou financeira. Eu quis ser porta-voz para todas as mulheres que não precisam passar por isso sozinhas”, destaca.Medida protetivaGabriela registrou boletim de ocorrência contra o suspeito.

O advogado João Paulo Campos, que representa a vítima, explica que obteve, diante da Vara de Violência Doméstica e Familiar contra a mulher, a liminar que garantiu à Gabriela o deferimento das medidas protetivas de urgência.”A ação foi tomada visando preservar a integridade tanto física quanto psíquica da ofendida. O agressor não poderá manter contato com a mesma, nem seus familiares e testemunhas, e deverá obedecer o limite mínimo de 100 metros de distância entre eles.

Além disso, deverá participar obrigatoriamente do Grupo Reflexivo para Homens, a partir do dia 4 de fevereiro do corrente ano pela plataforma Zoom. As próximas etapas serão a complementação do boletim de ocorrência diante da polícia, e acompanhamento junto ao Ministério Público do caso, que será acolhido em caráter de Ação Penal Pública Incondicionada”, explicou Campos.

Por:Redação Integrada com informações do G1

Envie vídeos, fotos e sugestões de pauta para a redação do JFP (JORNAL FOLHA DO PROGRESSO) Telefones: WhatsApp (93) 98404 6835- (93) 98117 7649.

“Informação publicada é informação pública. Porém, para chegar até você, um grupo de pessoas trabalhou para isso. Seja ético. Copiou? Informe a fonte.”
Publicado por Jornal Folha do Progresso, Fone para contato 93 981177649 (Tim) WhatsApp:-93- 984046835 (Claro) -Site: www.folhadoprogresso.com.br e-mail:folhadoprogresso.jornal@gmail.com/ou e-mail: adeciopiran.blog@gmail.com

 

 

error: Jornal Folha do Progresso
%d blogueiros gostam disto: