Polícia Civil escolta membros de facção criminosa que desembarcaram em Belém

image_pdfimage_print

Aeronave com os três presos chegou ao Aeroporto Internacional por volta de 3h da madrugada, vinda de Florianópolis
Desembarcaram na madrugada deste sábado (30), em Belém, líderes de facção acusados de articular crimes no estado do Pará, mas estavam em Minas Gerais e Santa Catarina. A aeronave com os três presos chegou ao Aeroporto Internacional de Belém por volta de 3h da madrugada. Agentes da Polícia Civil do Pará acompanharam o traslado, que saiu de Florianópolis até o Sistema Penitenciário de Pará.

As prisões aconteceram na última segunda-feira, 25, nas cidades de Florianópolis e Criciúma, no estado de Santa Catarina, e em Uberlândia, em Minas Gerais. Uma força tarefa foi montada pela Policia Civil do Pará. Delegados e investigadores foram divididos em quatro equipes com quatro policiais cada, sendo que oito foram enviados para Minas Gerais e oito para Santa Catarina.

As investigações apontam que todos são membros de uma facção criminosa que atua no Pará, mas que tem sido constantemente combatida com ações do Núcleo de Inteligência Policial, Coordenadoria de Operações Especiais, Diretoria de Polícia Especializada, Divisão de Homicídios e Delegacia de Repressão a Crimes Organizados, através da Delegacia de Combate à Facções.

As prisões fazem parte da segunda fase da operação “Cabeças II”, que cumpriu mandados de prisão de membros de facção criminosa de âmbito nacional, envolvidos em vários crimes no Pará. A primeira fase da ação aconteceu em setembro de 2020. Cerca de 20 policiais civis do Pará se deslocaram para os estados do Amazonas, Goiás e Santa Catarina. A investigação durou cerca de um ano.

De forma integrada e com total apoio das Polícias Civis dos demais estados, simultaneamente, a operação foi deflagrada com as prisão do vice-presidente da facção, que foi realizada em Santa Catarina, e um membro que estava foragido e foi capturado em Manaus. Outro integrante do grupo morreu durante intervenção policial em Manaus. Por esta missão, os policias que participaram foram condecorados pela bravura.

Os criminosos, já em solo paraense, serão reinquiridos em vários inquéritos em andamentos e, posteriormente, transferidos para uma unidade prisional federal.

Com as prisões feitas durante a operação, os índices de criminalidade no estado do Pará diminuirão de forma expressiva, visto que a facção criminosa foi desmantada pela Polícia Civil.

Por:Agência Pará
Envie vídeos, fotos e sugestões de pauta para a redação do JFP (JORNAL FOLHA DO PROGRESSO) Telefones: WhatsApp (93) 98404 6835- (93) 98117 7649.

“Informação publicada é informação pública. Porém, para chegar até você, um grupo de pessoas trabalhou para isso. Seja ético. Copiou? Informe a fonte.”
Publicado por Jornal Folha do Progresso, Fone para contato 93 981177649 (Tim) WhatsApp:-93- 984046835 (Claro) -Site: www.folhadoprogresso.com.br   e-mail:folhadoprogresso.jornal@gmail.com/ou e-mail: adeciopiran.blog@gmail.com

 

error: Jornal Folha do Progresso
%d blogueiros gostam disto: