Décimo terceiro vai injetar R$ 4,1 bilhões no estado do Pará

image_pdfimage_print

Especialistas dão dicas de como gastar de forma consciente  – (Foto:Marcello Casal Jr/ Agência Brasil)

O décimo terceiro salário deste ano deve injetar aproximadamente R$ 4,1 bilhões na economia paraense, nas duas parcelas, segundo estudo do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

O Pará fica com a maior parcela do valor distribuído no Norte, respondendo por 40,51% do total de recursos. A região como um todo terá a injeção de R$ 10,1 bilhões, o que representa a menor fatia do montante a nível nacional: 4,7% dos R$ 215 bilhões pagos no país.

Este domingo (20) é o prazo legal para que os empregadores paguem a segunda e última parcela do décimo terceiro salário aos seus trabalhadores.

Receberão o benefício, no Pará, 1,8 milhão de pessoas, 43,49% de todos os beneficiários do Norte – 4,2 mi. No Estado, o valor médio a ser pago aos trabalhadores no décimo terceiro, segundo o Dieese, será de R$ 2.078,37.

Especialistas orientam sobre como gastarPara o economista Marcus Holanda, ao receber o pagamento, a orientação é que a prioridade seja pagar contas em atraso ou as que irão vencer em breve, para não correr o risco de ficar endividado.

“Na segunda parcela, são descontados os encargos, a primeira vem limpa, então esta última é menor. Mesmo assim, é uma renda adicional e vem para cobrir as despesas do mês que vem, porque o ano começa com vários pagamentos, entre eles, escola, impostos municipais, tem conselho de classe para quem paga, muitas pessoas trocam de carro por conta das promoções, então o ano chega com muitas despesas extras.

Se não fiz a programação dessa reserva já vou direcionar o 13º para isso”, sugere o especialista.Caso o trabalhador não possua contas para pagar, pode usar o dinheiro para investir, seja a longo prazo ou em itens necessários. Guardar o recurso também é uma boa opção, e o economista lembra que uma “reserva” é quando o trabalhador tem guardado de uma a três vezes o valor de seu salário mensal.

Contudo, em caso de não haver necessidade de guardar o recurso ou investir, o trabalhador pode usar para seu próprio agrado: compra de passagens e hospedagem em viagens futuras; compra de roupas, sapatos ou acessórios; ou os presentes de Natal para a família.

“Em um ano como este que vivemos, também é importante alegrar os familiares. Então, de forma consciente, é uma oportunidade de comprar algo novo ou presentear os entes queridos”, orienta Marcus.Já o assessor de investimentos Maurício Paiva indica a aplicação financeira para este fim de ano.

Segundo ele, a média de R$ 2 mil pode ser investida em vários produtos do mercado.“É interessante observar a necessidade de liquidez para o investimento: se for necessário resgatar o dinheiro em um prazo inferior a 12 meses, sugiro investir no tesouro direto pela liquidez e segurança do investimento.

Caso o investidor tenha perfil agressivo e não tenha necessidade de liquidez, existe a sugestão de aplicar em renda variável para o longo prazo, onde, historicamente, os rendimentos são maiores que a renda fixa”, indica.Maurício ainda ressalta que a quantia não é considerada pequena para investimentos a longo prazo.

“Hoje os custos diminuíram consideravelmente, já não são mais impeditivos”.Trabalhadoras vão usar dinheiro extra para comprar o que precisamEmbora a pandemia tenha afetado o orçamento da auxiliar de escritório Thays Santos, de 30 anos, ela e o marido, o autônomo Marcelo Barra, de 39 anos, já conseguiram se reestabelecer financeiramente.

Grávida de seis meses, Thays usou a primeira parcela do décimo terceiro salário, paga em novembro, para comprar alguns itens antes da chegada da filha. Já a parcela de dezembro, que ainda não usou, será usada para ajudar Marcelo a comprar o restante dos itens.

Todo ano, Thays utiliza o décimo para comprar o que mais precisa no momento. “Como recebemos o adiantamento em novembro, geralmente, uso uma parte para despesas extras de final de ano, como ceia e presentes, e o restante reservo juntamente com a parcela de dezembro, para o ano seguinte, caso tenha em vista alguma coisa nova para comprar.

Sempre tem liquidação nas duas primeiras semanas do ano. Ou utilizo o valor quando tem um mês mais apertado”, contou.A vendedora Maria Clara Nava, de 24 anos, por outro lado, vai usar o recurso este ano para investir no empreendedorismo.

Ela não foi afetada de forma grave pela pandemia do novo coronavírus, então não adquiriu despesas extras e o dinheiro do final do ano está livre. “Costumo sempre usar o décimo para viagens futuras, mas este ano decidi investir em alguma coisa que me possibilite empreender”.

Por:Elisa Vaz

Envie vídeos, fotos e sugestões de pauta para a redação do JFP (JORNAL FOLHA DO PROGRESSO) Telefones: WhatsApp (93) 98404 6835- (93) 98117 7649.

“Informação publicada é informação pública. Porém, para chegar até você, um grupo de pessoas trabalhou para isso. Seja ético. Copiou? Informe a fonte.”
Publicado por Jornal Folha do Progresso, Fone para contato 93 981177649 (Tim) WhatsApp:-93- 984046835 (Claro) -Site: www.folhadoprogresso.com.br e-mail:folhadoprogresso.jornal@gmail.com/ou e-mail: adeciopiran.blog@gmail.com

 

 

error: Jornal Folha do Progresso
%d blogueiros gostam disto: