Materno-Infantil de Barcarena alerta sobre os riscos da gravidez na adolescência

image_pdfimage_print
A gravidez na adolescência se tornou um importante tema de debate no Brasil e no mundo.
Na Semana Nacional de Prevenção à Gravidez, de 1° a 5 de fevereiro, organizações, poder público e sociedade civil discutem e desenvolvem ações sobre medidas preventivas e educativas que contribuam com a redução do número de partos de mulheres nessa fase da vida.
Segundo o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), das 7,3 milhões de meninas e jovens grávidas no mundo, 2 milhões têm menos de 14 anos. No Brasil, um em cada sete bebês é filho de mãe adolescente.
Dados do Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos (Sinasc) mostram que dos quase 3 milhões de nascidos em 2019, no país, cerca de 399 mil eram filhos de mães entre 15 e 19 anos.
Entre meninas de 10 e 14 anos esse número também é alto, mais de 19 mil casos em 2019, o que significa que a cada 30 minutos, uma menina de 10 a 14 anos torna-se mãe.
Principais riscos
Segundo a ginecologista e obstetra Waléria Plácido, que atua no Hospital Materno-Infantil de Barcarena Dra. Anna Turan (HMIB), unidade gerenciada pela Pró-Saúde, adolescentes que engravidam sofrem maiores riscos de adquirir problemas físicos, psicológicos e sociais.
“Os riscos à saúde da mãe e bebê são muitos, como anemia, aborto espontâneo, hipertensão que pode desenvolver uma eclâmpsia ou pré-eclâmpsia, risco de parto prematuro, pois o útero ainda está em desenvolvimento. São situações que necessitam de cuidados intensivos e até mesmo internações ”, afirma.
A profissional ressalta que a adolescência é uma fase que o corpo ainda está em desenvolvimento, e maioria das vezes, a adolescente não está preparada, de forma fisiológica, para receber uma criança, e essas mudanças impactam também em problemas cognitivos e sociais.
Na maior parte das vezes não há assiduidade ao pré-natal e cuidados durante a gestação. “Muitas adolescentes não possuem entendimento sobre todas as fases da gravidez e não fazem acompanhamento com médicos”, disse.
“Essas adolescentes não estão preparadas para todas as mudanças que virão com a gestação, com o corpo, o ambiente familiar e a escola. Isso impacta na saúde mental das mães, no vínculo entre mãe e filho e também na amamentação”, acrescenta.
 Relação sexual na adolescência: desinformação e tabus 
Segundo a assistente social  da Pró-Saúde, Licia Furtado, que atua no HMIB, apesar de haver mais informações sobre formas de prevenção da gravidez precoce ainda há muitos dúvidas sobre métodos contraceptivos.
“Adolescente têm muitas dúvidas sobre o ato da relação sexual e forma de proteção contra gravidez e doenças sexualmente transmissíveis. É comum termos relatos do uso inadequado dos métodos contraceptivos, abandono por escolhas pessoais e falta de conhecimento sobre o uso”, ressalta a profissional.
A assistente social destaca ainda que a falta de planejamento familiar e os tabus em torno do tema dificultam a propagação da informação sobre prevenção da gravidez na adolescência.
“Há muitos tabus em falar sobre sexo, principalmente no início da adolescência. É fundamental os pais permitirem o acesso à educação sexual  e orientarem as adolescentes sobre as consultas ginecológicas e formas de prevenção. Há métodos contraceptivos, como camisinha e DIU, na rede pública e orientação com profissionais de saúde”.
O Hospital Materno-Infantil de Barcarena Dra. Anna Turan é uma unidade que pertence ao Governo do Estado do Pará, sendo gerenciada pela Pró-Saúde desde a sua inauguração, em 2018. A unidade está localizada a 114km da capital Belém.

O hospital é referência em casos de média e alta complexidades na região do Baixo Tocantins, e presta atendimento 100% gratuito por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). Em seus dois anos de funcionamento, já realizou mais de 3.000 partos e cerca de 165 mil atendimentos, entre consultas, internações, exames e cirurgias.

Fonte:Ascom HMIB/Com Foto

Envie vídeos, fotos e sugestões de pauta para a redação do JFP (JORNAL FOLHA DO PROGRESSO) Telefones: WhatsApp (93) 98404 6835- (93) 98117 7649.

“Informação publicada é informação pública. Porém, para chegar até você, um grupo de pessoas trabalhou para isso. Seja ético. Copiou? Informe a fonte.”
Publicado por Jornal Folha do Progresso, Fone para contato 93 981177649 (Tim) WhatsApp:-93- 984046835 (Claro) -Site: www.folhadoprogresso.com.br e-mail:folhadoprogresso.jornal@gmail.com/ou e-mail: adeciopiran.blog@gmail.com

https://www.folhadoprogresso.com.br/a-quem-recorrer-para-conseguir-direitos-basicos-no-dia-a-dia/
error: Jornal Folha do Progresso
%d blogueiros gostam disto: