Soja: preços sobem no Brasil, com valorização em Chicago e alta do dólar

image_pdfimage_print

Os valores da saca subiram em todas as praças de negociação do país; No porto de Paranaguá, o valor passou de R$ 164 para R$ 168

Foto: Ascom Famasul

O mercado brasileiro de soja teve mais um dia de subidas nas cotações nesta sexta-feira, 8, encerrando a primeira efetiva semana de negócios no Brasil. Com a oleaginosa na Bolsa de Chicago e o dólar subindo, a soja voltou a avançar em valores no país.

O dia foi de negócios moderados. Entre as cerca de 50 mil toneladas reportadas como trocando de mãos no dia, houve reporte de cerca de 15 mil toneladas movimentadas em Minas Gerais, e em torno de 6 mil toneladas em Mato Grosso do Sul.

Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos subiu de R$ 162 para R$ 163 a saca. Na região das Missões, a saca de soja avançou de R$ 159 para R$ 161. No porto de Rio Grande, o preço passou de R$ 164 para R$ 165.

Em Cascavel, no Paraná, o preço subiu de R$ 159 para R$ 161 a saca. No porto de Paranaguá (PR), a saca avançou de R$ 164 para R$ 168.

Em Rondonópolis (MT), a saca aumentou de R$ 154 para R$ 155. Em Dourados (MS), a cotação subiu de R$ 155 para R$ 155,50 a saca. Em Rio Verde (GO), o preço estabilizou em R$ 165 a saca.
Chicago

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a sexta-feira, 8, com preços em alta. As preocupações com o clima seco na América do Sul e a boa demanda chinesa pelo produto americano garantiram a elevação, ampliando a valorização da posição março para 4,87% nesta primeira semana do ano.

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) anunciou nesta sexta a venda de 204 mil toneladas de soja por parte dos exportadores privados para a China. Com o atraso na entrada brasileira e os possíveis prejuízos no potencial produtivo, o mercado aposta na continuidade da procura nos Estados Unidos e projetam corte na oferta global.

Os contratos da soja em grão com entrega em março fecharam com alta de 19,50 centavos de dólar por libra-peso ou 1,43% a US$ 13,74 por bushel. A posição maio teve cotação de US$ 13,71 por bushel, com ganho de 17,50 centavos ou 1,29%.

Nos subprodutos, a posição março do farelo subiu US$ 7,40 ou 1,71% a US$ 439,60 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em março fecharam a  43,67 centavos de dólar, baixa de 0,12 centavo ou 0,27%.
Câmbio

O dólar comercial encerrou a sessão com alta de 0,31%, sendo negociado a R$ 5,4160 para venda e a R$ 5,4140 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 5,3220 e a máxima de R$ 5,4400. Na semana, a divisa acumulou alta de 4,37%.

Por Agência Safras
08/01/2021 às 18h40

Envie vídeos, fotos e sugestões de pauta para a redação do JFP (JORNAL FOLHA DO PROGRESSO) Telefones: WhatsApp (93) 98404 6835- (93) 98117 7649.

“Informação publicada é informação pública. Porém, para chegar até você, um grupo de pessoas trabalhou para isso. Seja ético. Copiou? Informe a fonte.”
Publicado por Jornal Folha do Progresso, Fone para contato 93 981177649 (Tim) WhatsApp:-93- 984046835 (Claro) -Site: www.folhadoprogresso.com.br   e-mail:folhadoprogresso.jornal@gmail.com/ou e-mail: adeciopiran.blog@gmail.com

 

error: Jornal Folha do Progresso
%d blogueiros gostam disto: