Juiz determina fechamento de serviços não essenciais em Manaus por 15 dias

image_pdfimage_print

Foto: Murilo Rodrigues/ATUAL) –    MANAUS – O juiz plantonista Leoney Fligliuolo Harraquian determinou o fechamento de todos os serviços não essenciais no Amazonas pelo período de 15 dias. A decisão atende pedido do MP-AM (Ministério Público do Amazonas) e considera o aumento de casos e mortes por Covid-19 no estado. A multa diária é de R$ 50 mil em caso de descumprimento.

Nos autos da decisão, Fligliuolo afirma que somente após o total controle de casos pode haver uma flexibilização de fato. O Amazonas estava entre os estados considerados estáveis no avanço da doença e agora vive o aumento de infectados. “É de conhecimento geral que o número de casos de infecção por Covid-19 vêm aumentando nos últimos meses, após um período em que o Estado do Amazonas estava entre os únicos Estados com o número de casos estáveis”, diz.

O juiz atribui à flexibilização e às eleições o aumento de casos. “De forma que resta claro absurdo de casos nestes últimos dois meses decorre da flexibilização feita para as eleições em novembro e para as festas de fim de ano, gerando assim, uma superlotação nos Hospitais Públicos e Privados, superlotação esta que se encontra em pior estado do que em meados de março/abril de 2020”, afirma.

Segundo Fligliuolo, se o Estado tivesse tomado medidas mais eficazes para garantir o isolamento o cenário seria outro. “Ora, o número de pessoas que aguardavam leitos disponíveis que chegaram a óbito é alto e, caso o Estado do Amazonas tivesse se atentado a tomar medidas mais efetivas de distanciamento social, o número de leitos disponíveis seria maior e o número de pessoas que faleceram aguardando por eles, seria menor”, diz.

Juiz Leoney Figliuolo Harraquian determinou fechamento do comércio (Foto: William Rezende/TJAM)
Juiz Leoney Figliuolo Harraquian determinou fechamento do comércio (Foto: William Rezende/TJAM)

Aos serviços considerados essenciais, Fligliuolo determina que o Governo do Amazonas indique para cada categoria as medidas para evitar aglomerações no atendimento. O governo estadual deverá se pronunciar nos próximos 15 dias, através das redes sociais e outros canais de comunicação, para explicar à população a necessidade das ações tomadas.

Fligliuolo determina que após esse período, o Estado não adote medidas que ampliem o convívio social que estejam em desacordo com a avaliação de riscos feita pela FVS (Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas).

Para garantir o cumprimento da decisão, o juiz determina o uso de força policial para preservar a ordem pública.

Fonte: AmazoniaAtual pro Iolanda Ventura, da Redação
Envie vídeos, fotos e sugestões de pauta para a redação do JFP (JORNAL FOLHA DO PROGRESSO) Telefones: WhatsApp (93) 98404 6835- (93) 98117 7649.

“Informação publicada é informação pública. Porém, para chegar até você, um grupo de pessoas trabalhou para isso. Seja ético. Copiou? Informe a fonte.”
Publicado por Jornal Folha do Progresso, Fone para contato 93 981177649 (Tim) WhatsApp:-93- 984046835 (Claro) -Site: www.folhadoprogresso.com.br   e-mail:folhadoprogresso.jornal@gmail.com/ou e-mail: adeciopiran.blog@gmail.com

 

error: Jornal Folha do Progresso
%d blogueiros gostam disto: