Mulher acusa pastor casado de tê-la beijado e agarrado em fundo de igreja

image_pdfimage_print

O acusado também teria enviado várias fotos de nudez para o WhatsApp da jovem após o assédio sexual. (Foto:Divulgação)

O líder religioso teria se aproveitar da aproximação com a família da vítima para assediá-la sexualmente

Uma mulher de 29 anos denunciou um pastor de 51 anos por tê-la agarrado a vítima e a beijado à força dentro da igreja. O acusado também teria enviado várias fotos de nudez para o WhatsApp da jovem após o ato.

Os assédios se iniciaram no último dia 4 de fevereiro, em um local de culto localizado na rua Triângulo Mineiro, Jardim Macaúbas, em Campo Grande, em que ambos frequentavam. A vítima teria sido chamada para limpar um cômodo nos fundos da igreja, a convite do homem e da esposa dele.

O acusado aproveitou a saída da cônjuge para atacar a moça.‘’Ele me abraçou e me manteve abraçada…aí começou a querer me beijar e dizia: ‘me dá uma bitoquinha?’.

Só que eu virava o rosto e ele alcançava apenas a bochecha’, detalhou a mulher. De acordo com a jovem, o homem era muito próximo à família e agia carinhosamente com ela. Ele teria se aproveitado disso para praticar os atos. A mulher relata que preferiu permanecer calada sobre os ocorridos por ter ficado com ele, mas o acusado insistiu em manter contato e passou a enviar mensagens para o celular dela.

‘’No começo eram só figurinhas, gifs (fotos animadas)’’, explicou a vítima. Mas, o tom dele mudou e o mesmo passou a sinalizar que queria manter relação sexual com ela. Basta aflita, ela contou que os episódios de assédios passaram a ser compartilhados apenas da moça com a irmã, que sugeriu que ela aceitasse as investidas para coletar provas do crime.

O homem passou a pedir fotos do corpo dela. Ainda orientada pela irmã, a jovem pegou fotos aleatórias de seios e decotes na internet e enviou ao membro da igreja Em uma das ocasiões, ele retribuiu com uma foto de cueca.

Depois, mandou a foto do pênis. De acordo com a vítima, o pastor usava a estratégia de mandar as imagens e mensagens e, segundos depois, apagar, para não deixar rastro. No entanto, ela baixou um aplicativo que recupera os arquivos deletados. Depois de conseguir as provas, o assédio foi revelado aos pais, que ficaram chocados.

‘’Minha mãe está melhorando…no começo não conseguia nem levantar…meu pai não tem condições de encontrá-lo, se não dá um tiro nele’’, contou.A denúncia se espalhou para a igreja e a vítima disse ter sido procurada por outras meninas que também sofreram abuso, mas não tiveram coragem de denunciar, em razão do suspeito ser o líder do Ministério. ‘’Só quero que ele pague…não só por mim, mas por todas as vítimas, são 16 no total.

Não saio de casa. Não sei o que ele pode fazer…me atropelar, sequestrar’’, desabafa.O Portal Topmídias News, entrou em contato com o acusado e, em defesa, ele disse desconhecer qualquer acusação contra ele. Instantes depois, admitiu que ‘está sabendo de alguma coisa’. Inclusive dos prints pediu para conversar com o advogado e retornar depois.

Com informações do Topmídias News

Envie vídeos, fotos e sugestões de pauta para a redação do JFP (JORNAL FOLHA DO PROGRESSO) Telefones: WhatsApp (93) 98404 6835- (93) 98117 7649.

“Informação publicada é informação pública. Porém, para chegar até você, um grupo de pessoas trabalhou para isso. Seja ético. Copiou? Informe a fonte.”
Publicado por Jornal Folha do Progresso, Fone para contato 93 981177649 (Tim) WhatsApp:-93- 984046835 (Claro) -Site: www.folhadoprogresso.com.br e-mail:folhadoprogresso.jornal@gmail.com/ou e-mail: adeciopiran.blog@gmail.com

 

 

error: Jornal Folha do Progresso
%d blogueiros gostam disto: