Preço do frango acumula alta de 38,22% nos últimos 12 meses

image_pdfimage_print

Segundo o Dieese Pará, o do tipo congelado alcançou quase 33% de aumento  – (Foto:Igor Mota/O Liberal)

Os alimentos tiveram forte alta de preços no ano passado e começam 2021 com o mesmo comportamento em Belém. É o caso do frango resfriado, segundo aponta levantamento divulgado na sexta-feira, 5, pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese/Pará), que acompanha a trajetória de duas marcas.

O Dieese pesquisa semanalmente o preço do quilo do frango resfriado e congelado comercializado nas maiores redes de supermercados da capital.Uma das marcas pesquisadas, em 2019, tinha o quilo comercializado em média a R$ 7,43. E, em dezembro de 2020, já custava R$ 9,69.

Tendência de alta que continuou em janeiro de 2021, com preço médio do quilo a R$ 10,27.

Apenas em janeiro deste ano, o reajuste foi de quase 6%, em relação ao mês anterior. Mas chama a atenção mesmo o índice acumulado nos últimos 12 meses, de 38,22%, contra uma inflação estimada em torno de 5%.

Outra marca pesquisada pelo Dieese também teve altas expressivas nos últimos 12 meses. Em janeiro de 2019, o aquilo do produto era comercializado em média a R$ 7,22, um pouco mais barato que a outra marca. E também encerrou 2020 com aumento considerável, vendido em média a R$ 9,32.

Em janeiro de 2021, passou a ser comercializado em média a R$ 9,63. Esse valor representa alta de 3,33% em relação ao mês anterior. Mas a alta acumulada dessa marca de frango nos últimos 12 meses chega a 33,38%.CongeladoNo caso do frango congelado, as pesquisas do Dieese também registram elevação consistente de preços nos últimos 12 meses.

Uma das marcas, em janeiro de 2019, vendeu o quilo em média a R$ 6,67.

Em dezembro de 2020, custava R$ 8,11. Em janeiro de 2021, era comercializado em média a R$ 8,85. Isso representa alta de 9,12% em janeiro em relação ao mês anterior.

A alta acumulada nos últimos 12 meses alcançou quase 33%.O frango congelado da segunda marca levantada, que é mais barata, também teve altas expressivas nos últimos 12 meses.

Em janeiro de 2019, o quilo do produto era comercializado em média a R$ 6,69. Mas encerrou o ano de 2020 a R$ 8,02. Em janeiro de 2021, era vendido em média a R$ 8,89. Isso representa alta de 10,85% em janeiro de 2021 em relação ao mês anterior.

E a alta acumulada também ultrapassou os 30%, chegando a 32,88%. Lembrando que a inflação estimada no período ficou em torno de 5%.

Por:Redação Integrada

Envie vídeos, fotos e sugestões de pauta para a redação do JFP (JORNAL FOLHA DO PROGRESSO) Telefones: WhatsApp (93) 98404 6835- (93) 98117 7649.

“Informação publicada é informação pública. Porém, para chegar até você, um grupo de pessoas trabalhou para isso. Seja ético. Copiou? Informe a fonte.”
Publicado por Jornal Folha do Progresso, Fone para contato 93 981177649 (Tim) WhatsApp:-93- 984046835 (Claro) -Site: www.folhadoprogresso.com.br e-mail:folhadoprogresso.jornal@gmail.com/ou e-mail: adeciopiran.blog@gmail.com

 

 

error: Jornal Folha do Progresso
%d blogueiros gostam disto: