Santos e Boca Juniors empatam em jogo da semi da Libertadores na Argentina

image_pdfimage_print

O Santos empatou em 0 a 0 com o Boca Juniors (ARG) na noite desta quarta-feira, em La Bombonera, pelo jogo de ida da semifinal da Libertadores da América.

O Peixe foi prejudicado pela arbitragem de Roberto Tobar, do Chile, em Buenos Aires. Marinho sofreu um pênalti de Izquierdoz no segundo tempo. O juiz mandou seguir, confiou na orientação do VAR e não reviu o lance no vídeo.

O Alvinegro foi melhor durante a maior parte da partida, mas não transformou a superioridade em muitas chances claras de gol. Os goleiros Andrade e John pouco trabalharam.

A decisão por uma vaga na final da Libertadores ocorrerá na próxima quarta-feira, na Vila Belmiro. Novo 0 a 0 levaria a eliminatória para os pênaltis. Empate com gols classificaria o Boca Juniors. Quem vencer, obviamente, avança para enfrentar Palmeiras ou River Plate.

O Boca Juniors começou melhor em sua casa. Aos 7 minutos, Villa recebeu de Tévez e acertou o travessão do goleiro John. O lance, porém, foi anulado por impedimento. Aos 10, Villa chegou de novo pela esquerda. O colombiano driblou Pará e cruzou – Lucas Veríssimo desviou e quase marcou contra. A partir daí, o Santos melhorou.

O Peixe passou a ter a posse de bola e atacar mais que o Boca, mas não criou chances claras. Na melhor oportunidade, Marinho chutou forte de fora da área aos 42 e Andrada encaixou.

Logo no primeiro minuto, o Boca quase abriu o placar. Salvio recebeu de Tévez, driblou Felipe Jonatan com facilidade e bateu forte para grande defesa de John. Aos 10 minutos, o Santos respondeu: Felipe Jonatan driblou Jara e chutou para boa defesa de Andrada. A arbitragem, porém, parou a jogada por um toque no braço.

Quando o placar marcava 18 jogados, o Santos chegou bem com Marinho. Ele recebeu sozinho pela direita e bateu fraco. Aos 20, Kaio Jorge bateu colocado com perigo. No minuto 23, o Boca Juniors respondeu. Tévez arrancou, gingou entre Pará e Lucas Veríssimo e bateu colocado. A bola passou à esquerda do goleiro John.

Aos 29, um lance polêmico em La Bombonera. Marinho levou a melhor sobre Izquierdoz e foi tocado. A arbitragem não marcou pênalti e nem foi no vídeo rever. De acordo com Carlos Simon, ex-árbitro e comentarista da Fox, a penalidade máxima foi clara.

Nos minutos finais, nenhuma chance clara foi criada. A decisão fica para a Vila Belmiro.

Por:Gazeta Esportiva (foto: Ivan Storti/assessoria)

Envie vídeos, fotos e sugestões de pauta para a redação do JFP (JORNAL FOLHA DO PROGRESSO) Telefones: WhatsApp (93) 98404 6835- (93) 98117 7649.

“Informação publicada é informação pública. Porém, para chegar até você, um grupo de pessoas trabalhou para isso. Seja ético. Copiou? Informe a fonte.”
Publicado por Jornal Folha do Progresso, Fone para contato 93 981177649 (Tim) WhatsApp:-93- 984046835 (Claro) -Site: www.folhadoprogresso.com.br e-mail:folhadoprogresso.jornal@gmail.com/ou e-mail: adeciopiran.blog@gmail.com

 

 

error: Jornal Folha do Progresso
%d blogueiros gostam disto: