Paraense tira nota mil na redação do Enem e fala sobre referências culturais

image_pdfimage_print

O resultado da prova foi divulgado na manhã desta sexta-feira, 17, para os estudantes que já concluíram o Ensino Médio.
Vinícius explica que foi fundamental buscar referências culturais para defender seus argumentos (Foto:Akira Onuma / O Liberal)

“O projeto do Cine Líbero Luxardo, em Belém, é um exemplo do que o estado já produziu para atender a demanda da democratização ao cinema. Mas infelizmente, é um dos poucos projetos que existem em todo o país”. A frase é do estudante Vinícius Adriano Coelho Amaral, de 18 anos, um dos dois únicos paraenses que conseguiram alcançar a nota máxima na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019. O resultado da prova foi divulgado na manhã desta sexta-feira, 17, para os estudantes que já concluíram o Ensino Médio, e pode ser acessado na página oficial do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Quando Vinícius entrou no site para ver o resultado, no início da manhã, nem se deu conta de que tinha tirado nota mil na redação. É que a preocupação inicial do estudante foi de fazer a somatória para saber quanto foi a nota final. “A primeira vez que eu olhei a nota, acabei deixando passar um pouco”, disse o jovem, em entrevista exclusiva ao jornal O Liberal. “Depois da somatória, foi o momento que eu pude realmente olhar, e foi uma grande surpresa, porque ninguém espera uma nota dessas”, completou.

A estratégia utilizada pelo estudante para fazer a redação foi, primeiramente, de identificar os problemas e os obstáculos para a questão da democratização do acesso ao cinema no Brasil, que foi o tema proposto. “Meu primeiro parágrafo de argumentação foi destinado à falta de ação do estado, de que forma o estado negligencia o acesso ao cinema”, conta.

Como Vinícius é frequentador do Cine Líbero Luxardo, que oferece ingressos com preços mais acessíveis à população de Belém, esta foi a primeira referência que veio à cabeça dele para defender projetos de incentivo ao acesso ao cinema por parte do poder público. Ele destaca que poderia ter utilizado, também, o Cine Olympia, outro projeto cultural público que oferece entrada franca em suas sessões, fomentando a democratização do acesso ao cinema.

Para alcançar a nota máxima na redação, Vinícius explica que foi fundamental buscar referências culturais para defender seus argumentos. Uma dessas referências foi o livro Ensaio Sobre a Cegueira, do escritor português José Saramago, que narra a história de uma epidemia de cegueira que se espalha em uma cidade, comparando com a falta de sensibilidade da população em relação à democratização do acesso ao cinema. “Depois que eu já sabia fazer uma redação, o que eu precisava era aprimorar meu repertório. Pra isso, foi um ano de muito treino, fazendo duas redações por semana”, relembra.

Mesmo com a nota máxima da redação, Vinícius conta que a somatória da pontuação total não deve atender ao curso de Medicina nas universidades federais e estaduais paraenses, que é o seu objetivo principal. Agora, o próximo passo é repetir a rotina de estudos para garantir a tão sonhada vaga. “Mas ter tirado nota mil na redação ajudou muito a garantir minha preparação pro Enem 2020, caso eu não seja chamado esse ano”, finaliza o estudante.

De acordo com o Inep, dos quase 4 milhões de participantes do Enem 2019, 53 obtiveram a nota máxima, mil, e 143.736 zeraram a redação. Os principais motivos para nota zero foram: redações em branco (56.945 casos); fuga ao tema (40.624) e cópia do texto motivador (23.265). A média da nota da redação foi 592,9.

Em março, os estudantes terão acesso ao chamado espelho da prova, que contém detalhes da correção dos textos e as notas em cada uma das competências avaliadas na redação. Os resultados do Enem foram divulgados ontem (17) e podem ser acessados no aplicativo do exame e na Página do Participante.

Por:O Liberal;João Paulo Jussara
17.01.20 20h57

Envie vídeos, fotos e sugestões de pauta para a redação do JFP (JORNAL FOLHA DO PROGRESSO) Telefones: WhatsApp (93) 98404 6835- (93) 98117 7649.

“Informação publicada é informação pública. Porém, para chegar até você, um grupo de pessoas trabalhou para isso. Seja ético. Copiou? Informe a fonte.”
Publicado por Jornal Folha do Progresso, Fone para contato 93 981177649 (Tim) WhatsApp:-93- 984046835 (Claro) -Site: WWW.folhadoprogresso.com.br   E-mail:folhadoprogresso@folhadoprogresso.com.br e/ou e-mail: adeciopiran_12345@hotmail.com

 

error: Jornal Folha do Progresso
%d blogueiros gostam disto: